terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Três gotas de suor.

Estava quente, muito quente.
O garoto dormia. Sonhava com seus pais, sonhava com seus amigos, sonhava com seu amor. Um completo conjunto em harmonia era simplesmente tudo o que o garoto mais dava valor.
O suor era inevitável, o lugar era quente, abafado. Porta fechada a chave, janela idem. O Fraco ventilador acima de sua cabeça soprava inutilmente, um vento quente, viciado.
Ele abre os olhos, se pergunta: Que horas são? O celular tá em cima da mesa... não vou pegar.


Olha para o lado, a visão é monumental.
Dizem que o amor, de um certo modo, faz as pessoas ficarem burras, cegas, tapadas e completamente retardadas, exagerando na beleza alheia. O garoto amava, mas não exagerava quando o descrevia. Na realidade, ele sempre dizia que era clichê, mas não havia como comparar tamanha sutil beleza.
Ele estava de costas, com um certo brilho devido ao suor. Os cabelos macios despenteados, bagunçados, numa linda desordem casual. A pele morena adquiria um certo brilho a meia luz das frestas da janela. O corpo mantinha suas formas suaves, ao mesmo tempo majestosas. Ele se vira, ainda dormindo, o rosto sereno, numa expressão de profunda calma. Ele devia estar em devaneios, em seu mundo particular de sonhos, aonde somos realmente livres.

O garoto chegou perto, afagou-lhe o rosto. Ele abriu os olhos, sonolento, desferiu um sorriso arrebatador, dizendo: Bom dia! eu dormi demais?
O garoto ainda sim, conseguia ficar hipnotizado com aquilo. Respondeu que sim, se aproximou e se abraçaram, afagaram-se. E do mesmo modo sutil em que acordaram, voltaram a dormir.
Voltaram a seu mundo de liberdade, aonde não havia quem lhes dissesse o que fazer, ou que eram 10:30 e dava tempo de mais uma. Apenas curtiram o momento.

Mas, ainda assim, ainda estava quente.

5 comentários:

La War disse...

Nhaaaaaaaaaaaaaaaa eu ia comenta na outra que eu li toda .-. mais vo comentar nessa porque eu quero '-'

Escreve bem já penso virar escrito *-*? Escreve um romance Minha Sacer e um Sniper *----------------------------*

Letícia disse...

Cara, isso foi quente.

Tô com calor.

Berro d'Água disse...

“Dizem que o amor, de um certo modo, faz as pessoas ficarem burras, cegas, tapadas e completamente retardadas, exagerando na beleza alheia”.

Não acho que o amor torna as pessoas mais burras, lerdas, cegas, abobalhadas e enfim, todas as coisas que sabemos e sim, a paixão. E entre o amor e a paixão, há um abismo a ser conquistado. Já a paixão, sabemos que é passageira, física e hormonal.

Vim te agradecer por tua visita e dizer-te que voltes sempre que desejares.

Um abraço e tudo de bom!!!

Cris

Berro d'Água disse...

Certamente que voltarei!!! Não tenho tido muito tempo para visitações, mas respondo sempre a cada visita que recebo e o faço com prazer. Quero te agradecer também por teu email e tuas palavras doces. Em dobro para ti!!!

Com um abraço e meu desejo ´que tenhas um ótimo final de semana!!!

Beijo,

Cris

Maycon Aguiar disse...

É bom quando a gente capta tantos sentimentos em único texto, ficando num estado de arrebatamento completo. Espero sentir novamente este torpor nas próximas visitas! Já te sigo.

Um abraço!